Mato Grosso em Foco Publicidade 1200x90
11/04/2023 às 13h04min - Atualizada em 11/04/2023 às 13h27min

Ibovespa sobe mais de 3% e supera os 105 mil pontos após IPCA: por que o dado de inflação animou tanto o mercado nesta terça

Além do dado de inflação abaixo do esperado, levando a expectativas de corte de juros mais cedo, notícias sobre arcabouço fiscal também impulsionam o índice

Infomoney
https://www.infomoney.com.br/mercados/ibovespa-sobe-mais-de-3-e-supera-os-105-mil-pontos-apos-ipca-por-que-o-dado-de-inflacao-animou-tanto-o-mercado-nesta-terca/

grafico

grafico

Depois de rondar os 100 mil pontos, é o momento do Ibovespa ganhar impulso e se afastar de vez desse patamar?

Às 12h50 (horário de Brasília) desta terça-feira (11), o Ibovespa saltava 3,32%, a 105.223 pontos, e chegou a superar os 105.500 pontos. com um “combo” de fatores positivos que também levam a uma queda expressiva do dólar na sessão. Se fechar com esse desempenho, será o maior ganho percentual do índice em um dia desde 3 de outubro de 2022, quando fechou em disparada de 5,54% na sessão seguinte ao primeiro turno das eleições no país.

Nesta manhã, a surpresa positiva com o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que veio abaixo do esperado, animou os investidores. Além disso, também contribui com a alta a indicação de que a equipe do ministro da Fazenda, Fernando Haddad, busca entregar a proposta final da nova regra fiscal ao Congresso nesta semana.

O índice de inflação subiu 0,71% em março, depois de ter avançado 0,84% em fevereiro, mostraram os dados divulgados pelo IBGE nesta terça-feira. Em 12 meses, acumulou aumento de 4,65%, contra 5,60% antes, a variação foi a mais baixa e marcou a primeira vez que o índice ficou abaixo de 5% desde janeiro de 2021. Ambos os dados foram menores que as expectativas.

A inflação em desaceleração e a convergência das expectativas, além do noticiário sobre o arcabouço fiscal (dando luz sobre as contas públicas brasileiras), ajudam a impulsionar a Bolsa brasileira, uma vez que abririam espaço para perspectivas de um corte de juros mais cedo.

“O IPCA de março abaixo do esperado desencadeou uma onda de otimismo e reprecificação dos ativos de risco, com alta do Ibovespa e do real, enquanto os juros futuros caem. O IPCA apresentou queda nos núcleos e abriu uma brecha para a possibilidade de corte da Selic em junho, em momento em que também há otimismo com o andamento da proposta do novo arcabouço fiscal”, ressalta Alexsandro Nishimura, economista e sócio da Nomos.

Cabe ressaltar que, em relatório do início do mês, a XP havia elevado a projeção para o Ibovespa no fim do ano de 125 mil pontos para 128 mil pontos, sendo que um dos pontos de maior ânimo era a estabilização das taxas de juros reais de longo prazo.

Assim, um alívio na taxa Selic, atualmente em 13,75%, é visto como essencial para uma melhora mais sustentável das ações brasileiras, principalmente daquelas sensíveis à economia interna, uma vez que diminui a atratividade da renda fixa e também melhora o ambiente de negócios, facilitando empréstimos e também dando impulso para a economia brasileira. Até o momento, a previsão entre economistas no Focus é de queda dos juros no segundo semestre.

Pedro Canto, analista da CM Capital, avalia que, somados, os dois fatores (inflação em desaceleração e arcabouço fiscal, gerando ancoragem de expectativas) são bem importantes. “Há inflação menor à vista, com provável queda de Selic. Custo de oportunidade cai, risco diminui e ativos de risco sobem”, afirma.

Cabe ressaltar que, recentemente, Roberto Campos Neto, presidente do Banco Central, apontou que as expectativas é que levam à queda da Selic, não o arcabouço fiscal diretamente. Assim, a desaceleração do IPCA é comemorada pelos investidores, em um contexto em que o governo tem pressionado o BC para cortar a Selic.

“Os dados do IPCA de hoje trouxeram surpresas positivas importantes para o cenário brasileiro. Além da surpresa no índice geral, vale destacar melhoras substanciais nas medidas de inflação subjacente, especialmente serviços e núcleos. A melhora também é vista para dados dessazonalizados”, avalia Luca Mercadante, economista da Rio Bravo.

Apesar da surpresa positiva, Mercadante ainda não acredita que um mês é capaz de mudar a postura do Copom. “Para que cortes de juros apareçam mais cedo do que o esperado, acreditamos que o BC tenha que ver um processo de alívio mais consistente da inflação. Um mês apenas não deve ser capaz de garantir a consolidação da desinflação. Seguimos, portanto, vendo a Selic a 13% ao final do ano”, afirma.

Para a Levante Ideias de Investimentos, a análise dos números do IPCA será “trabalhosa”, com os investidores em busca de alguma tendência.

Os analistas da casa destacam, citando análise do IBGE, que a inflação só não desacelerou mais devido ao retorno da cobrança de impostos federais no início do mês, estabelecido pela Medida Provisória 1157/2023. O PIS/COFINS sobre os combustíveis voltou a ser cobrado a partir de 1º de março.

Porém, “se não considerarmos os combustíveis, os demais grupos mostram que a inflação não está exatamente bem-comportada”, avaliam.

Depois do grupo Transportes, segundo o IBGE, vieram os grupos Saúde e Cuidados Pessoais, com alta de 0,82%, e Habitação, com avanço de 0,57%. Esses dois itens, que são importantes na cesta de preços, desaceleraram em relação a fevereiro, contribuindo, respectivamente, com 0,11 e 0,09 pontos percentuais no índice. Os demais ficaram entre o 0,05 por cento de Alimentação e Bebidas e o 0,50 por cento de Comunicação. O único grupo cujos preços caíram foi Artigos de Residência, com um recuo de 0,27% após ter subido 0,11% em fevereiro.

“A interpretação da inflação vai exigir um ‘esforço filosófico’ dos investidores. Os pessimistas dirão que a desaceleração não é suficiente para justificar uma mudança nas expectativas para o comportamento futuro da taxa de juros. Os otimistas dirão que a baixa é suficiente para alterar o cenário. Na prática, essas dúvidas só serão sanadas nos próximos dias, com os comentários dos diretores do Banco Central e a aproximação da próxima reunião do Comitê de Política Monetária (Copom),
marcado para os dias 2 e 3 de maio”, avalia a Levante. Porém, reforça que a primeira reação dos investidores ao IPCA abaixo do consenso foi positiva, ainda mais levando em conta o cenário de volatilidade para os ativos de risco.

Leandro Petrokas, Diretor de Research e sócio da Quantzed, casa de análise e empresa de tecnologia e educação para investidores, aponta que, além do IPCA, as bolsas internacionais estão majoritariamente em alta hoje. “Também temos investidores otimistas com o aperfeiçoamento do texto sobre o arcabouço fiscal e empresas do setor de commodities estão impulsionando Ibovespa para cima com altas de empresas ligadas ao petróleo e minério”, reforça.

Ações da Vale (VALE3) sobem mais de 4%, enquanto Petrobras (PETR3;PETR4) tinha alta de 2,5% para as ações ON e de cerca de 3% para as PNs. Contudo, os grandes destaques ficam para as aéreas Gol (GOLL4) e Azul (AZUL4), que também se beneficiam com a queda do dólar, além das varejistas e construtoras que ganham com a visão de queda dos juros.

Magazine Luiza (MGLU3) subia quase 10% e MRV (MRVE3) tinha avanço de quase 9%, enquanto as educacionais Cogna (COGN3) e Yduqs (YDUQ3) disparavam mais de 8%. Apenas duas ações do Ibovespa, Minerva (BEEF3) e São Martinho (SMTO3), caíam no início da tarde, mas menos que 1%.

Dados da B3 também mostram estrangeiros voltando para a Bolsa brasileira, com saldo positivo em R$ 655,5 milhões em abril até a última quinta-feira, após as vendas superarem as compras em fevereiro e março. Em janeiro, houve entrada líquida de R$ 12,55 bilhões.

No exterior, Wall Street não tinha direção definida entre seus principais índices, com investidores à espera de um dado de inflação ao consumidor nos Estados Unidos na quarta-feira, que pode determinar os próximos movimentos de política monetária do Federal Reserve.

(com informações da Reuters)

The post Ibovespa sobe mais de 3% e supera os 105 mil pontos após IPCA: por que o dado de inflação animou tanto o mercado nesta terça appeared first on InfoMoney.



Fonte: https://www.infomoney.com.br/mercados/ibovespa-sobe-mais-de-3-e-supera-os-105-mil-pontos-apos-ipca-por-que-o-dado-de-inflacao-animou-tanto-o-mercado-nesta-terca/


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://matogrossoemfoco.com.br/.