Mato Grosso em Foco Publicidade 1200x90
02/07/2023 às 09h00min - Atualizada em 02/07/2023 às 10h56min

Cidades do agronegócio impulsionam crescimento da população em MT

RDNews
https://www.rdnews.com.br/cidades/cidades-do-agronegocio-impulsionam-crescimento-da-populacao-em-mt/177997

Mato Grosso registrou 3,6 milhões de habitantes no Censo Demográfico 2022 do IBGE, dos quais 43% estão concentrados em seis cidades, quatro ligadas ao agronegócio: Rondonópolis, Sinop, Sorriso e Tangará da Serra. Os números reforçam que o setor é o maior impulsionador da economia estadual.
O Censo aponta ainda que o Estado foi o terceiro que mais cresceu em população nos últimos dez anos. Dentre as 20 concentrações urbanas com maior taxa de crescimento anual brasileiro, Sinop está em primeiro lugar, com 4,69%; e Rondonópolis, em 19° lugar, com 1,89%. 

“MT é o 3º estado com maior crescimento populacional nos últimos 10 anos”

Censo IBGE 2022
“Chama atenção o crescimento de alguns eixos viários e cidades ribeirinhas, com destaque para municípios situados no eixo da BR-163, entre eles está Sorriso, que é uma das principais áreas de produção de commodities agrícolas do país, principalmente de soja e milho”, diz o trecho do Censo.

Outros municípios ficam à sudeste do Estado, como o de Rondonópolis, centro logístico regional, e na BR-158, rodovia que corta o leste de Mato Grosso. “No noroeste do estado, destacam-se cidades localizadas na região de avanço mais recente da fronteira agropecuária, que constituem pontos luminosos de crescimento populacional do interior no período analisado”, indica o IBGE.

Segundo o economista Vivaldo Lopes, o crescimento da populacional foi mais expressivo nessas cidades por três motivos. "O primeiro é o dinheiro, o crescimento econômico, depois a oferta de emprego e, a terceira, a qualidade dos serviços oferecidos, que proporcionam qualidade de vida. Entram nesses serviços a educação, a saúde e o lazer. Esses pontos atraem mais migrações”, afirma. 

De acordo com Censo, 43% da população (1,6 milhão) reside nessas seis Concentrações Urbanas, que são municípios acima de 100 mil habitantes.  

Ainda segundo o estudo, em 2010, essa concentração era menor, mas já era significativa, sendo que 36% (1,1 milhão) dos habitantes viviam nessas cidades. Duas cidades ainda não tinham atingido os 100 mil habitantes em 2010: Sorriso, que tinha 66.521; e Tangará da Serra, que tinha 83.431.

Por isso, a Capital foi a cidade do estado com a maior variação absoluta de população na última década, com ganho de 97.710 moradores. O número de moradores aumentou de 551 mil, no Censo 2010, para 650,9 mil, no Censo 2022, uma alta de 18,1%. Em seguida, ficou Sinop (82.968), Rondonópolis (49.311), Várzea Grande (47.111) e Sorriso (44.281).

“Crescimento econômico, oferta de emprego e qualidade dos serviços são os principais motivos da expansão populacional em algumas regiões do estado”
Vivaldo Lopes, economista

Já o crescimento médio anual foi maior em Querência, com 6,18%, seguida por Lucas do Rio Verde (5,21%), Nova Mutum (4,82%), Sinop (4,69%) e Campos de Júlio (4,58%). Todas estas cidades estão no ranking de mais ricas do agro brasileiro.

Desigualdade
No outro extremo da escala urbana estão 119 municípios com menos de 25 mil habitantes, o que corresponde a 30% da população. Há ainda 36 municípios com menos de 5 mil habitantes.

“Precisamos observar que as Concentrações Urbanas centralizam um grande volume de população, segundo o tamanho, que devem crescer mais lentamente na próxima década. Ainda assim, a grande maioria dessas áreas continuará concentrando população, assim como ocorreu entre 2010 e 2022”, diz IBGE.

Perda populacional
Apesar do alto crescimento, há 51 cidades que tiveram redução no número de moradores. Vivaldo pontua que, nas cidades que estagnaram ou tiveram perda populacional, a mesma lógica serve. “Houve cidades estagnadas, como Cáceres, com perda de população. Nessas, coincidentemente ou não, tivemos antes a redução de emprego e renda. Isso faz com que as pessoas migrem do local”, esclarece

Próximos anos
Para o economista Vivaldo Lopes, a tendência é que, nos próximos anos, o crescimento populacional continue seguindo esse desenvolvimento econômico.

Dentre as 20 concentrações urbanas com maior taxa de crescimento anual brasileiro, Sinop está em primeiro lugar, com 4,69%

“A tendência é a maior parte da população continue nessas concentrações ou até em novos locais em que o desenvolvimento chegue, como aqueles onde serão montadas bases industriais. As regiões que serão beneficiadas pelo traçado da ferrovia, como Primavera do Leste, Campo Verde, Rondonópolis, Lucas do Rio Verde e Cuiabá irão atrair mais moradores, tanto no primeiro momento, durante a obra, por causa da oferta de trabalho, como em longo prazo, quando os terminais forem fixados, pois isso irá promover o crescimento econômico para essas regiões”, pontua. 


 


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://matogrossoemfoco.com.br/.