Mato Grosso em Foco Publicidade 1200x90
01/03/2023 às 20h27min - Atualizada em 02/03/2023 às 10h02min

Aprosoja estima produção histórica em MT com 42 milhões de toneladas

Presidente da entidade, Fernando Cadore diz que investimentos e clima ajudaram na safra 22/23

RDNews
https://www.rdnews.com.br/economia/aprosoja-estima-producao-historica-em-mt-com-42-milhoes-de-toneladas/172638

Com a colheita da safra de grãos de 2022/2023 quase no fim, a Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja) estima atingir um índice histórico, com uma produção de 42 milhões de toneladas em 11,8 milhões de hectares, atingindo uma média de 60 sacas por hectare, fato que, segundo a entidade, não acontecia há muitos anos. A safra de milho, aliás, deve passar a safra de soja neste ano.

De acordo com o presidente da Aprosoja, Fernando Cadore, além dos investimentos, o que influenciou positivamente a produção nesta safra foi o clima. No entanto, ele ponderou que o resultado poderia ter sido ainda melhor se não fossem os altos custos.


“A gente teve um aumento gigantesco no custo de produção, desde peças, serviços, insumos agrícolas. É o momento que a gente, inclusive, pede para os nossos produtores terem a cautela, porque como a gente depende da demanda internacional, qualquer mudança pode comprometer a viabilidade do setor”, afirmou em entrevista à imprensa, nesta quarta (1º).

Com a guerra entre a Ucrânia e a Rússia iniciada no ano passado, os preços ficaram bem mais altos e o impacto foi ainda maior. Cadore ressalta que, apesar de ainda estar no início, esse ano não houve redução e os custos continuam lá em cima. “Mesmo com a baixa do fertilizante, tivemos outros produtos que subiram. Assim, continuamos um custo parecido com o do último ano, em torno de R$ 7,5 mil a R$ 8 mil por hectare”, explicou.

Entraves

Ainda segundo o presidente da Aprosoja, apesar do cenário positivo, ainda há muitos desafios enfrentados pelo setor e que deverão ser pauta de diálogo com o Governo Federal. Entre os principais problemas apontados está o do armazenamento dos grãos.

“Mato Grosso bate um recorde de produção, passa a Argentina, porém tem déficit de armazenamento de mais de 50 milhões de toneladas. O recomendado é que um país tenha, pelo menos, 1,2 vez a capacidade de guardar o que ele produz. Nós não temos nem a metade”, afirma.

Outros problemas citados, cita, é de infraestrutura, logística, burocratização de licenças ambientais e falta de recursos governamentais. Tudo deve ser levado para a mesa em uma conversa com a gestão Lula (PT), com quem o setor tem enfrentado desgaste desde a troca de governo, principalmente por parte dos produtores em Mato Grosso, estado majoritariamente bolsonarista.

A classe, inclusive, não escondeu a desaprovação, à época, ao nome do atual ministro da Agricultura e Pecuária, o senador licenciado Carlos Fávaro (PSD), principalmente pela massiva campanha pró-PT feita pelo congressista em Mato Grosso.

Cadore ponderou, no entanto, que eles irão dialogar com o novo governo porque a Aprosoja "é uma entidade apolítica" e que "governos vêm e vão". "À medida que cada um faz seu papel, não vamos ter problema e o país cresce", disse.

Além disso, sobre o ministro mato-grossense, afirmou ver o nome como importante por se tratar de alguém que conhece a realidade e as demandas de Mato Grosso, inclusive tendo ocupado a presidência da Aprosoja no biênio 2012/2013. MILHO E SOJA Aprosoja estima produção histórica em MT com 42 milhões de toneladas Aprosoja estima produção histórica em MT com 42 milhões de toneladas Presidente da entidade, Fernando Cadore diz que investimentos e clima ajudaram na safra 22/23


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://matogrossoemfoco.com.br/.